domingo, 2 de julho de 2017

Reclamações e Soluções

Érima de Andrade

Uma das lições mais importantes a ser aprendida por quem quer trabalhar com gente, é:
o tempo é pessoal. Cada um têm o seu de lidar com o que lhe acontece.

Mudanças, internas ou externas, começam com a consciência do que deseja modificar.
Você só muda uma mesa de lugar, se souber, se tiver consciência, de onde ela está. Acontece o mesmo quando quer fazer reformas internas, você só muda o que tem consciência.

Ter consciência é diferente de ter informação.
Ao tomar consciência você se percebe sentindo e/ou pensando sobre como aquela informação lhe afeta. E é aqui, nessa etapa de autoconhecimento, que quero chamar sua atenção nesse texto. O tempo que cada um leva para tomar consciência das informações que recebe, é pessoal e intransferível.

Já ouvi de psicólogos, professores e fisioterapeutas, queixas do tipo: está demorando muito a evolução do paciente/aluno. Se você quer trabalhar com gente, a primeira grande lição a ser aprendida é essa: o tempo interno é individual.

Sempre a você só caberá mostrar o caminho. A decisão de caminhar é do outro. O tempo que leva para caminhar também é uma decisão do outro. Pode até ser que você tenha forçado bastante a barra e levado a pessoa, arrastada, até a beira do rio. Mas não vai conseguir que ela beba a água. Ela precisará escolher beber.

Por que estou batendo nesse ponto? Porque tenho escutado muitas reclamações. Reclamações vindas de todo tipo de pessoa. Ter estudo, ou cultura, não interfere no tempo interno. Você pode ser super diplomado, mas se não escolher aplicar em si seu conhecimento, nada muda. O que muda o tempo interno é sua decisão, consciente, de mudar.

Você pode se queixar por anos do seu emprego. Enquanto não tomar consciência de que coube a você a escolha de estar trabalhando com isso, você não conseguirá mudar. E, insisto, o tempo de sair da queixa para buscar soluções é individual.

Parece um paradoxo. Gosto dessa palavra, paradoxo. Cabe muito no texto de hoje. Vem do latim, paradoxum, significa "aparentemente absurdo, mas mesmo assim, verdade." E é a mais pura verdade: a solução dos seus problemas depende de você. Mesmo que o problema não tenha iniciado a partir de você, se lhe afeta, a solução depende de você.

Se você está no meio de uma situação desagradável, pergunte-se, "como eu posso colaborar para que isso mude?" E a pergunta vale tanto para você que não está gostando dos rumos da politica da sua cidade, estado ou país, quanto para você que não está feliz no seu emprego. A sua resposta vai lhe levar a solução do seu problema.

Se sua queixa for sobre política, a pergunta "como posso colaborar para que isso mude", vai levar a respostas de mudanças imediatas, do tipo: se tornar voluntário numa Ong que presta o serviço que você percebe como falho, ou fundar uma Ong para isso. E também respostas de mudanças mais a frente: se informar, de todas as maneiras, sobre os próximos candidatos para votar consciente em ideias que correspondam aos seus anseios. É o voto consciente que muda a politica que você não gosta.

Se é do seu trabalho que você reclama, a pergunta "como posso colaborar para que isso mude", também vai levar a respostas imediatas e para o futuro. 


Imediatamente, você pode se lembrar o que motivou sua decisão de trabalhar aí. Busque essa motivação no seu momento presente. Ainda é forte o suficiente para permanecer nesse emprego? Se sim, passe a se alimentar, diariamente, das positividades proporcionadas por esse seu trabalho. Faça o exercício do post passado, se obrigue a procurar, ao menos, uma coisa positiva para cada negatividade que você perceber. Pode acreditar, suas reclamações diminuirão. Talvez até desapareçam.

Se ao começar seu questionamento interno você descobrir que não lhe satisfaz, de maneira alguma, seu atual emprego, se pergunte: o que eu gostaria de estar fazendo agora? E busque as oportunidades de colocar em prática aquilo que lhe dará prazer e sustento. 

E pode ser que precise se requalificar, fazer cursos, formações, estágios. E tudo bem. Se ainda não está pronto para uma mudança de profissão, precisa mesmo se preparar. E durante esse processo de preparação, caberá a você manter o foco na motivação da sua mudança. Ou continuar reclamando.

As soluções estão sempre dentro de você. Não consegue sozinho? Busque ajuda. Mas vai sabendo que não é mágico. Para mudar, consciência é apenas o primeiro passo. Intenção o segundo. E ação o terceiro. E precisará também de persistência para se manter na ação. Mesmo assim, vale a pena.

Prefere continuar apenas reclamando? Tudo bem, eu respeito o seu tempo. Respeito todo o tempo que você precisa para descobrir que só se responsabilizando pela sua felicidade, você será feliz. Use o tempo que achar necessário. O tempo interno é mesmo individual.


Concordo com Rosa de Luxemburgo quando diz: "A liberdade que importa é a liberdade de quem discorda de nós". Para o post de hoje: o tempo que importa, é o tempo que o outro precisa. Nunca o tempo da sua ansiedade de terapeuta.

Que você encontre a paz necessária para fazer bem o seu trabalho. Que você seja feliz. Que você esteja em paz. Que você viva com alegria, dignidade e respeito. 

Que suas reclamações levem a muitas soluções.



8 comentários:

  1. Muito bom, gostei de me perguntar, e ver que realmente surgem respostas. Obrigado amiga, vc sempre ajudando!!!

    ResponderExcluir
  2. adorei o texto! Até pra respeitar meu próprio tempo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prefeito! Seu tempo tb precisa ser respeitado. Obrigada por comentar.

      Excluir
  3. Sempre maravilhosa e escrevendo muito bem ! Parabéns querida e gratidão por nos auxiliar com suas preciosidades !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu carinho minha amiga. Beijos

      Excluir

Vou ficar feliz com seu comentário. É muito bem vindo!