domingo, 15 de abril de 2018

Pena ou Compaixão?

Érima de Andrade

De vez em quando, alguém em atendimento, me pede para
explicar, de novo, a diferença entre pena e compaixão. Essa é uma conversa, que quando surge, provoca estranheza, pois a grande maioria das pessoas, acha que são dois sentimentos iguais. E mesmo achando que são a mesma coisa com nomes diferentes, quando eu pergunto o sentimento despertado pela história que está me contando, se é pena ou compaixão, invariavelmente a resposta é pena.

Quando me pedem para falar de novo sobre a diferença, eu explico que, na pena você sente a dor do outro, mas o olha de cima. Você se acha superior aquela pessoa que está passando por algum problema. Você é afetado pela dor do outro, mas não faz nada para mudar aquela situação. Apenas sente piedade.

Na compaixão você sente a dor do outro e tem certeza que são iguais. Olha de frente, no mesmo plano, olho no olho. Você sabe, poderia ser você passando por isso. Você é afetado pela dor dele, e, ao mesmo tempo, é tomado por um desejo intenso de acabar com ela. E essa sua compaixão ajuda a mudar aquela situação.

Como essa explicação básica não cria uma imagem que ajude a memorizar a diferença, eu dou um exemplo de alguém preso num buraco.

Você, com pena, vê uma pessoa no buraco, sente a dor dela, mas se sente superior por estar fora. Acredita que a pessoa não é capaz de sair dessa sozinha. Mais que isso, você tem certeza que você sim, se estivesse no buraco, saberia sair sem ajuda.

Amparado nessa certeza de ser capaz de sair, você entra no buraco, acolhe a pessoa, abraça, ouve o desabafo dela, a deixa confortável, serena, tranquila. A pessoa super agradece o que você fez por ela, feliz de você usar um pouco do seu tempo para entrar no buraco e fazer com que se sinta melhor.

Objetivo alcançado, você, que sabe sair do buraco, sai e vai cuidar da própria vida. A pessoa segue no buraco, mas agora agradecida e um pouco mais feliz. De concreto, a vida dela não mudou em nada.

Se você sente compaixão ao ver uma pessoa num buraco, você a olha sabendo que são iguais. Sabe que ela é tão capaz quanto você de sair dali. Além de sentir a dor dela, você deseja acabar com a origem da dor, deseja que ela saia do buraco e se propõe a ajudar.

A pessoa é capaz de sair sozinha, mas aceita a ajuda, porque, nesse momento, não dá conta, precisa de ajuda. E com essa certeza de que o outro é capaz, você avalia, com ele, a melhor maneira de ajudar. E pode ser trazendo uma corda para quem está dentro, escalar a parede. Ou uma escada. Ou uma escada e mais gente para alguém poder entrar no buraco e ajudar na subida.

Pode ser assim, colocam a escada, alguém desce, apoia a pessoa para que suba em segurança, enquanto do lado de fora mais gente mantém a escada segura e firme. Dessa maneira, respeitando os limites do que o outro está vivendo, você, por compaixão, ajuda a mudar aquela situação.

É uma historinha esclarecedora. Serve quando você vê uma planta seca no vaso, sente pena, dó, e segue a sua vida sem fazer a diferença na saúde da planta. Ou, por compaixão, rega a planta, afofa a terra, tira as folhas mortas, coloca uma cobertura na terra, lascas de madeira, por exemplo, para manter a umidade por mais tempo, posiciona o vaso onde ele possa receber quantidade adequada de luz. E você faz diferença na saúde da planta.

Na pena, o pesar do outro lhe afeta, mas não lhe move. Sua vida não muda, nem a dele. Na compaixão, o pesar do outro lhe afeta, e provoca em você o desejo de acabar com a causa da dor. A vida de vocês dois e afetada por esse sentimento.

A boa notícia é que, se você ainda não sente compaixão espontânea, você pode treinar seu olhar, seus pensamentos, suas crenças e cultivar a compaixão em você.

Agora que, imagino, você já entendeu a diferença, me conta: na sua vida, você sentiu mais pena ou compaixão?

domingo, 8 de abril de 2018

Protagonista da Própria Vida

Érima de Andrade

É muito interessante observar as pessoas que simplesmente esquecem que elas são a prioridade principal da própria vida. Elas se abandonam, não se dão importância, colocam todos e tudo como centro da sua atenção e, nem percebem que fazem isso. Tem sempre alguém dizendo 
como elas devem viver e agir. E elas ouvem, simplesmente por medo de tomar decisões.

Ser protagonista da sua vida é essencial para que você não fique preso em um mundo que não é seu, em uma realidade que você não quis para si, num emaranhado de desejos dos outros que você não quer realizar. Ser o protagonista da sua vida é essencial para que você possa praticar a evolução constante, para que você seja dono do próprio destino, e dite cada ação que irá acontecer no futuro.

Muitos autores já escreveram listas com
dicas de como tornar sua jornada nesse planeta mais significativa. Quem sabe é tudo que alguém que se colocou a margem precisa, um mapa da mina?

Essas listas são para objetivos variados, se organizar para uma grande viagem, empreender, tornar as atividades físicas um hábito, só para citar alguns exemplos.
Mas tem pontos em comum que cabem perfeitamente no seu processo de autoconhecimento, e no seu caminho de se tornar protagonista da própria vida. Se você faz parte do grupo que se abandona, tomara que lhe ajude a descobrir seu valor e a caminhar em direção a sua felicidade. Vamos a lista:



Seja protagonista, e não só figurante - Estar junto de alguém é ótimo. Abrir mão da sua vida para ser figurante na vida do outro é péssimo. Então, vá estudar, aprender, evoluir, mas vá como protagonista. E quando encontrar um caminho na sua área de interesse, lembre-se, aprende mais quem participa mais. Não abra mão dessa oportunidade, participe. Assuma a responsabilidade por seu aprendizado, pelo caminho que quer trilhar. Seu interesse, seu caminho, sua dúvida, não espere que perguntem o que você quer saber. Tem dúvidas? Pergunte.  Precisa de ajuda? Busque. Não sabe por onde começar? Pesquise os eventos, aulas, palestras, cursos que tenham a ver com suas escolhas de vida. Coloque-se como principal e faça valer as suas escolhas de protagonista.

Faça uma poupança direcionada - Não tem como investir agora no seu crescimento pessoal? Faça uma poupança. De qualquer valor. Apenas mantenha o compromisso de depositar todos os meses o valor escolhido por você. Pode ser que você ainda não saiba qual seu melhor caminho, mas estar preparado para quando ele aparecer, vai fazer toda diferença.

Gere clareza -  Olhar com clareza o caminho que leva aos seus objetivos, faz com que você caminhe melhor. Mas isso só é possível se você sabe onde quer chegar. Se ainda não sabe seu objetivo, muito menos tem claro onde quer chegar, faz parte do seu trabalho agora, gerar clareza dos seus desejos. Observe-se, descubra o que lhe dá prazer, descubra com o quê, ou com quem, você gosta de trabalhar. É o seu trabalho, usando seus dons e talentos, que vai lhe colocar no caminho da felicidade. Perceba o que sente fazendo cada coisa que você faz atualmente. Abra-se para essa descoberta. Seu coração vai lhe mostrar o melhor caminho. 

Trabalhe no seu crescimento pessoal e profissional ao mesmo tempo - Seus dons e talentos são seu caminho para uma vida com mais significado.
Aprender uma técnica é ótimo, mas ela só será, de fato, motivo de felicidade, se você colocar o seu crescimento pessoal junto com seu crescimento profissional. Conhecer a si mesmo é um passo essencial para tomar as rédeas da sua vida. Reflita sobre quem é você, seus gostos, qualidades, defeitos, ambições, habilidades, competências. 
Sabendo quem você é, do que gosta, do que não gosta, você pode escolher, com clareza, onde usar seus dons e talentos.  Ter um salário bom é ótimo. Estar infeliz no trabalho é péssimo. Por isso você precisa se conhecer. Sua vontade de crescer como pessoa, precisa estar junto do seu desejo de crescimento profissional. O seu negócio, seu trabalho, seu caminho profissional só crescerão se você crescer junto. Pense a respeito.

Pare de dar desculpas - Se você quer algo, faça acontecer. Voltando ao primeiro item,
seja protagonista da sua vida, e priorize suas metas. Em vez de ficar se escondendo atrás dos porquês de não fazer isso ou aquilo, comece a criar maneiras de como fazer isso ou aquilo. É sua a escolha. 


Faça uma lista ou crie seu quadro de visualizações - Uma lista de metas, ou um quadro com imagens daquilo que você deseja fazer, funciona muito bem. Muitas pesquisas mostram que colocar suas metas no papel ajuda a concretizá-las. Coloque-as onde possa ver, ou ler, sempre.
É uma maneira de lembrar esse compromisso que assumiu com você. Importante, coloque datas para alcançar cada uma das metas escritas ou visualizadas. Sem data é apenas sonho. E objetivos são sonhos com datas para se realizarem. Vamos?

Consistência é a chave dos resultados - Fazer hoje, pular amanhã. Fazer de novo, pular dois dias. Dar um tempo e não fazer por uma semana… não, né?
Se você quer, crie rotinas para fazer sempre. Paciência, persistência e prática, os três “p’s” da consistência da sua caminhada.


Abra caminho para o novo - Você quer novidades, energias novas na sua vida? Que tal dar uma olhada na sua casa, no seu local de trabalho, nas situações que você vive com mais frequência, e se desfazer de tudo que não lhe serve mais?
Abra espaço para o novo se livrando de tudo aquilo que não é essencial na sua vida. Doe ou venda aquelas coisas que você já não usa faz tempo. Tem muitos sites que você pode se inscrever para fazer sua energia circular vendendo suas coisas que não tem mais função para você. Além de melhorar a energia levando felicidade para quem vai comprar, você ainda ganha um dinheiro extra para sua poupança de investimento em você. Libere espaço para que a energia flua melhor na sua vida. Pode ser também fazendo trabalhos voluntários, eles são ótimos para movimentar as energias paradas. E para mostrar mais positividade aos seres humanos, espalhando seu amor para o mundo. Nosso planeta é lindo, entre nessa corrente de ver as energias circulando e o melhor se manifestando.

Seja grato pelas suas conquistas -
Seja grato pelo que já conquistou; energia da abundância, em vez de frustrado pelo que ainda falta conquistar; energia da escassez. Quando geramos sentimentos de gratidão em nossos pensamentos, ativamos o sistema de recompensa do cérebro. Esse sistema é responsável pela nossas sensações de prazer e bem estar. Com que olhar você tem visto a sua vida? Pela abundância ou pela escassez?

Vá atrás do seu próximo nível - Mesmo com todos os avanços conquistados, não pare de buscar. Não entre na energia de “agora eu já sou foda e já sei tudo”, essa energia que gera escassez.
Todos nós temos sempre um próximo nível na nossa frente. Se ainda estamos vivos, nesse planeta, é porque ainda tem algo a ser aprendido. Qual é o seu próximo nível? Qual o seu próximo passo? Qual a sua próxima conquista?


Ser protagonista da sua vida não é uma tarefa fácil, mas, tenha em mente sempre, que ser dono da sua vida é algo insubstituível.

Bora começar?

domingo, 1 de abril de 2018

Páscoa e Apreciação

Érima de Andrade

A páscoa, mesmo antes de ser uma festa cristã, já representava
a passagem de um tempo de trevas para um tempo de luz. Para os cristãos é a "passagem" de Jesus Cristo da morte para a vida, a ressurreição.

Misturando símbolos de quando era apenas uma festa pagã,
seguimos usando a imagem do coelho, como símbolo de fertilidade; os ovos como a renovação e o começo da vida; e as cores vibrantes dos embrulhos, ou pinturas, como a representação da luz solar, e o fim da escuridão. Quando os ovos e os coelhos são dados de presente, estamos desejando ao outro luz, vida nova e prosperidade.

Mas, para além de trocar presentes,
podemos aproveitar a energia da páscoa, a energia da passagem, da renovação da vida, para planejarmos uma mudança de vida e um futuro melhor. Afinal, também é feriado, e você pode tirar um tempinho para pensar como você tem apreciado a sua vida. O que acha?

Você sabe, a paisagem ao seu redor não vai mudar, mas seu olhar sobre o que lhe acontece pode mudar, e muito.
A mãe de uma paciente ficou internada um longo tempo totalmente inapetente. Ela propôs ao medico levar comida de casa, e ele autorizou, mesmo não acreditando no sucesso dessa estratégia. Foi um período muito cansativo para ela, com filhos pequenos e morando longe do hospital.

Perguntei o que ela poderia apreciar dessa situação. Pensou um pouco e disse que no trajeto de ida e volta de ônibus ela ia lendo, e isso era bom. Depois comentou que ficava muito cansada por fazer questão de levar comida sempre fresca.
Pedi que pensasse nessa situação novamente e perguntei se mesmo cansada, ela podia apreciar que a mãe gostasse tanto da comida dela, que mesmo muito doente, aceitava comer. Foi por conta de se alimentar, que a mãe teve um aumento na imunidade e sofreu menos nesse período tão difícil para as duas.

Foi com surpresa que se deu conta que sim, ela podia apreciar a reação da mãe com esse cuidado diário. Nada mudou na história, apenas o olhar dela.

O exercício da apreciação é esse, olhar seu dia a dia, seu cenário diário, e se abrir para tomar consciência de tudo de bom que acontece, pequenas e grandes coisas, que fazem a vida ser mais feliz.

A Bárbara Petri, com alguma frequência, convida para o exercício do apreciar. Gosto tanto do convite dela, que nem vou tentar escrever algo diferente. Bárbara trabalha com mulheres, mas esse é um convite para todos. Eis o convite que ela faz: 

“Olhando com amor - 21 dias de Apreciação

Namastê, flor de luz!

Hoje eu venho te convidar a me acompanhar no caminho do apreciar. Convido você a olhar com amor para si e para o mundo ao teu redor, apreciando cada cantinho mágico que existe em você, em suas experiências, em todo o aprendizado que você teve ao longo da sua jornada até aqui. Olhar com amor para os pequenos detalhes e a apreciar a grandeza cósmica: o Sol, as galáxias, nossa Mama Terra...


Eu olho com amor, apreciando infinitamente a tua presença aqui, teu olhar generoso que sempre recebe com carinho as minhas palavras. Aprecio a sabiá laranjeira que pousa todas as manhãs próxima à janela do meu quarto e canta enquanto arrumo a cama. Olho com amor para o movimento celular do meu corpo e para a risada alta que solto quando vejo algo inesperadamente engraçado. Aprecio o creme de mandioquinha que estou preparando para minha família e a borboleta que acabei de rabiscar enquanto pensava no material da aula de Ayurveda que darei amanhã.

Há tanto para ser visto e amado em nossas vidas! Por isso eu te convido a se juntar a mim nessa caminhada de 21 dias pelo universo da apreciação. Todos os dias eu publicarei uma lista com dez coisas para quais eu olho com muito amor. Convido você a escrever a sua lista, também. Se quiser, pode escrever sua lista na caixa de comentários do blog. Eu vou amar ler sobre as coisas/experiências/seres que você apreciou no seu dia!

Vamos?


Vejo você amanhã, Mulher tão querida!

Todo amor do universo,
Bárbara Petri” 


Aceita o convite? Vamos aproveitar a energia de renovação da Páscoa e renovar o olhar sobre o que lhe acontece?

domingo, 25 de março de 2018

Jesus e Alexandra Solnado

Érima de Andrade

Conheci
Alexandra Alvarenga Solnado, Alexandra Solnado, Alex Solnado,  (https://www.alexandrasolnado.com/) numa palestra no site da Paula Abreu (http://escolhasuavida.com.br/), e super me identifiquei com a maneira dela pensar a vida.

Aqui, no Brasil, dirianos que ela é médium, mas não é assim que ela se apresenta. Ela é escritora. O especial dessa escritora é que há 15 anos, ela recebe mensagens e ensinamentos de Jesus.

Com ela aconteceu assim: por volta do ano 2000, ela passou por uma situação de grande desespero por conta de uma doença grave, e inexplicável, da sua filha Joana. Ela chegou a ser declarada clinicamente morta. Foi nesse momento que houve a mudança radical na vida da Alex. Ela começou a estudar astrologia cármica, que era um desejo antigo, e também uma maneira de encontrar respostas ao que estava vivendo. Dos estudos, passou a consultas de limpezas cármicas e conexão com o Eu Superior.

Em 2002, enquanto meditava, ela viu Jesus Cristo. A partir desse encontro, Ele começou a ditar, regularmente, mensagens e ensinamentos. Essas mensagens foram publicadas em vários livros, fazendo de Alex Solnado a autora portuguesa de maior sucesso no campo da espiritualidade.

Além de escrever, ela também trabalha como terapeuta num projeto que chamou de Terapia da Alma. Ela sempre diz: “Na realidade, o autor deste projeto é Jesus. É Ele quem dita as mensagens dos livros, a forma como devem ser feitas as limpezas espirituais e toda a teoria utilizada neste projeto.”

Num dos seus vídeos, ela conta que Jesus fala diretamente com muita gente, e com cada um, Ele usa a linguagem adequada a essa pessoa. Eu gosto demais das mensagens recebidas por Alex. As recebo semanalmente, me inscrevi no site para isso, e às vezes também consulto uma mensagem online, direto no site. Todas as mensagens que li, fazem muito sentido para mim.

Acredite você ou não, que essas mensagens foram ditadas por Jesus, que Ele inspirou esses textos, ou que a Alex O ouviu, não faz diferença. As mensagens são ótimas. Tire delas o que elas tem de melhor. Não permita que seu preconceito lhe impeça de aproveitar esses ensinamentos. Eis algumas que já recebi de O Livro da Luz, O Livro da Luz Online, O Livro da Luz – Pergunte, O Céu Responde:

Por Mim

Esse é o teu amor por mim.
Quando te olhas todas as manhãs, e tentas novamente aceitar-te. Esse é o teu amor por mim.
Quando te alimentas adequadamente para o teu corpo não adoecer. Esse é o teu amor por mim.
Quando te ofereces pequenos presentes. Porque tu mereces. Porque eu mereço que tu mereças.
Quando alcanças a maioridade do ser. Quando me alcanças nas alturas. Quando me sonhas, me sorris. Esse é o teu amor por mim.
Não quero que escrevas. Só quero que sintas, que sintas esse amor por mim (o amor que tens por mim).
Cada lagoa que olhas, olhas por mim. 

Cada pôr-do-sol, cada estrela cadente que contemplas, dás-me um pouquinho desse prazer. 
Cada memória que tens, tem-na por mim. Fá-lo por mim.
Cada ser humano que abraças, cada olhar que tocas, fá-lo por mim.
Ama por mim.

Não posso estar aí, mas sinto a matéria por cada um de vocês, por cada ser humano que honra o que sente. 
Que vê o seu coração voar de encontro às alturas.
Cada vez que te apaixonares, fá-lo por mim.
Cada vez que utilizares a minha luz para amar, contemplar e viver, vais sentir-te mais, vais dar mais e vais unificar o céu e a terra por força da nossa união.” Jesus


Não Queiras 

Não queiras perpetuar a vida. Aproveita.
Aproveita cada instante do que a vida tem para te dar.
Cada minuto é magicamente selado por mim para te dar tudo o que a tua energia precisa para se desenvolver.
Cada instante que queiras que dure para sempre, cada movimento que faças para repetir experiências, estás a negar as novas experiências que te estão a ser apresentadas.
Não queiras perpetuar nada. Apenas aproveita cada instante.
E agradece. Agradece estares vivo para poderes usufruir da encarnação.
Só.
O resto virá por si para tornar a tua vida mais colorida.” Jesus


Liberdade 

“A liberdade é mágica. A liberdade dá-te aquela sensação de que fizeste o que tinha de ser feito. Que estás onde tens de estar. Que tudo está no seu lugar.
A liberdade não é um sítio.
Não tens de ir a lado nenhum. Não tens de fazer nada para seres livre. Liberdade é teres consciência de que a vida é tua e só tua, e que tens que vivê-la e seres quem és, sem concessões.
É claro que os outros também poderão ser levados em consideração. Mas com limites. Há pessoas que vivem inteiramente para os outros.
Tudo o que fazem, fazem-no em nome dos outros. São em nome dos outros. Todas as suas vidas são concessões constantes. Esforçam-se por ser o que esperam delas. E depois, como a pressão é tremenda, procuram a liberdade desesperadamente numa tentativa vã de se encontrarem.
Procuram a liberdade fugindo de si próprias, sempre fora delas. Partem à procura da liberdade. Eu não vou a lado nenhum para ser livre. O máximo que posso fazer é ir por ser livre.
Primeiro és livre, dentro, depois poderás fazer o que quiseres, pois tudo o que fizeres irá invariavelmente refletir quem tu já és.
E o que é a liberdade interior?
Vive cada emoção, por mais ínfima que ela possa parecer. Sente quem és e nesse aspecto não faças concessões.
Sente, sente e sente. Esse sentir irá trazer informação espiritual preciosa acerca de quem és e do que vieste fazer à terra.
Sente, abre o coração e começa a ouvir a tua intuição.
E só então, age.
E nesse caminho, encontrarás a forma mais fabulosa de ser livre.” Jesus

Luz 

“Nós não podemos ver só o que queremos. Não podemos viver na ilusão.
Nós temos de ver a realidade. Ver o que é.
Por isso é que eu gosto das pessoas que, quando oram, pedem:
"Dai-me luz. Ilumina-me para que eu possa ver o que é, sem hesitações."

"Dai-me luz
A mesma luz onde moram os anjos,
A mesma luz que ilumina os caminhos,
A luz que transforma os homens
E os torna pessoas especiais.
Dai-me luz
A mesma luz que me retira a estranheza
E que me devolve a minha própria natureza.
A mesma luz que clareia os meus passos
E que me devolve um sentido de vida, de direção.

A mesma luz que no fundo do túnel
Abre um campo aberto de possibilidades,
Um universo de oportunidades.
A mesma luz, da cor da paz, da cor de um povo
Que vive no céu
E que faz a minha vida na terra
Ter mais significado.
"

Quando estiveres triste, pensa que te falta luz. Diz esta oração com o peito aberto, para que a luz possa entrar e modificar a tua vida.” Jesus


Como Vens?

Como é que tu estás na espiritualidade?
Tu vens cá acima buscar alguma coisa?
Vens cá acima para poderes receber alguma coisa?
Alguma bênção?
Vens agradecer alguma coisa que já recebeste?
Ou vens Ser?

Exercer quem és numa nova dimensão?
Se vens buscar alguma coisa, desiste. Não é aqui que encontras o que queres.
Aqui, o máximo que podes encontrar é a resposta – se vais ou não encontrar o que queres.
Se vens agradecer alguma coisa, que bom. Fico feliz por perceberes que tudo o que tens na matéria é enviado pelo céu, a título de boa hospitalidade. Mas se vens para Ser, para te exerceres, aí então é que fico feliz e mando tocar as trombetas.
Significa que já compreendeste o portal das dimensões, porque já recebeste luz suficiente para poderes escolher a Luz.
Significa que já te perdoaste e já não exiges nada de ti.
Porque aceitaste vivenciar cada uma das tuas dores bem como cada um dos teus amores. Porque já sabes quem eu sou e o bem que te posso trazer.
Significa que já compreendeste a jornada do homem e queres fazer a tua parte.
Significa que pensas em mim e, mesmo que ainda não me tenhas visto, sabes que existo e contas comigo.
Significa que já entregaste a tua alma ao céu e aguardas por boas novas.

E, mais do que tudo, significa que a tua alma já tocou na minha.” Jesus

domingo, 18 de março de 2018

Temperos em Casa

Érima de Andrade

A mãe de uma amiga, desde antes de nos conhecermos, separava as latinhas usadas na cozinha, pintava com criatividade e bom gosto, furava o fundo e
pendurava ao longo do muro lateral da casa com mudas dos temperos que mais usava. Há mais de trinta anos, muito antes de virar moda, ela já reciclava, reutilizava, e valorizava os temperos orgânicos da sua hortinha.

Atualmente atendo duas pessoas que, por motivos diferentes,
despencaram no seu padrão de vida, mas decidiram, ao menos em casa, comer colorido, com sabor, e fresco.

Se o dinheiro não dá para comprar tudo que desejam, algumas vezes fica caro até na promoção, a solução foi plantar em casa de uma maneira barata, e que funcionasse.

São muitas as vantagens de cultivar uma horta em casa, entre elas: é fácil. Você precisará separar um tempo para se dedicar aos cuidados com irrigação e adubagem, para observar a saúde das plantas, e para cuidar das necessidades de cada espécie. E assim você obtém alimentos de qualidade, que farão diferença na alimentação da sua família. Existe uma grande variedade de verduras, vegetais, ervas e temperos possíveis de cultivar em casa com pouco espaço.

Tem muitas, muitas opções baratas de fazer uma hortinha em casa tendo ou não espaço, plantando ou não em vasos, reciclando ou não embalagens e caixas. Além das opções de semear, comprar mudas, e fazer suas próprias mudas.

Terapeutas ocupacionais devem, ao menos, experimentar as atividades que propõem aos seus pacientes. E lá fui eu fazer mudas, plantar e avaliar o grau de dificuldade de manter a plantação saudável. Árvores requerem menos cuidado, temperos pedem atenção pelo menos 2 vezes por semana. Mas nada que chegue a atrapalhar a rotina da casa, nem sua agenda pessoal. Dificuldade nível fácil demais.

Se você não tem prática com plantas, vasos, regas, cuidados com a terra, minha sugestão é que você comece pelos temperos. E tem motivos. Eles nascem mais rápido, e você em pouco tempo estará usando sua produção para temperar sua comida. E isso é muito motivador.

Comece plantando os temperos que você mais gosta de usar em casa. Ter uma plantação linda, mas que não agrade ao seu paladar, é um convite a auto sabotagem, a abandonar a atividade, a se frustrar com seu trabalho. Deixe para um outro momento experimentar novos sabores. Comece pelo que você conhece e gosta.

Uma pesquisinha rápida na internet vai lhe apresentar muitas ideias de fazer sua hortinha reaproveitando garrafas pet. Eu achei essas sugestões nos sites:







Também tem opções em caixas, caixotes, vidros, vasos, jardineiras e onde mais sua imaginação mandar:



Repare que nas fotos que achei tem muitas ideias de hortas soltas, que podem ser transportadas, sem dificuldades, tanto para o local da casa com a luz mais adequada, quanto para a cozinha quando você for usar.

Nos meus testes em casa, fiz mudas de tomatinhos, tangerina, laranja, cebolinha. Meu tomateiro está cheio de frutos. Plantei as sementes num vaso, e permanecerão lá. Essa aqui foi a primeira colheita:

Aqui vale contar que os frutos, mesmo que estejam no mesmo pé, amadurecem em momentos diferentes. Então, quando começar sua colheita, lembre-se de olhar sua plantinha diariamente. Você, no caso dos tomates, pode tirá-los ainda verde que amadurecerão sem apodrecer.

Eu tenho um pedaço de terreno, então meu futuro pé de tangerina já está no chão. Mas não plantei direto no terreno. Separei as sementes de uma tangerina que gostei especialmente, deixei germinar, coloquei num vasinho e quando atingiu uns 15 cm, coloquei no local definitivo.


Mas saiba que todas as cítricas ficam bem em vaso a vida toda. Claro que crescerão menos que na terra, produzirão menos, mas para o consumo de uma família, serão suficientes. E é tão legal andar pela casa para pegar o limão para temperar, a acerola para fazer suco, a laranjinha kikan para fazer um doce de sobremesa, e todas as outras que você escolher.

Se escolher fazer sua horta numa jardineira, ou numa caixa, lembre-se de se informar sobre o desenvolvimento de cada espécie escolhida. Por exemplo, hortelã deve ser plantado sozinho no recipiente que você escolher. Ele espalha suas raízes com rapidez, por todo espaço disponível, enfraquecendo e matando as outras espécies que estiverem ao lado.

Ao decidir fazer sua horta, você talvez tenha que comprar mudas, ou sementes. Mas muitas outras você multiplica a partir das suas compras no mercado. Por exemplo, cebolas criam raízes até dentro da sua geladeira, depois é só plantá-la num vaso e terá sua muda.

Molho de cebolinhas normalmente vem com as raízes, é só plantar. Minhas mudas vieram desse método.

Laranja, tangerina, limão, tomates, abóbora, você faz mudas a partir das sementes. Aqui em casa plantei as sementes de tomate sem esperar que secassem. Caroços de abóbora também podem ir direto para a terra. Deixei secar as sementes de laranja e tangerina antes de plantar. Mas todas as sementes podem ser germinadas antes, e ir para a terra quando as raízes furarem a casca.



Alecrim você faz mudas a partir de estacas. Traduzindo, você corta mais ou menos 10 cm a partir do topo do molho de alecrim que você comprou no mercado, e planta.



Espinafre, manjericão, alface, salsinha você precisará comprar as sementes. Mas as batatas você pode fazer mudas. Para a batata inglesa, separe uma batata saudável e deixe em local iluminado até que nasçam os brotos. Quando os brotos atingirem 2 cm, estará pronta para ser plantada.

A batata doce é muito especial. Escolha sua batata doce no mercado. Coloque num recipiente de vidro, ou plástico. Comece colocando pouca água, mas quando começar a brotar, complete o vaso com água. Em pouco tempo você vai ter uma bela e exuberante folhagem, que pode ser direcionada para fazer o contorno de uma janela, por exemplo. A água precisa ser completada diariamente. E se optar por colocar na terra, cuide de manter o solo úmido. 



E aí? Com tudo que você leu aqui, você continua acreditando que é necessário um investimento muito alto para ter o prazer de colher, em casa, uma parte da sua comida?

Acredite, esse pequeno e saudável prazer pode se transformar no marco inicial do seu movimento para uma vida melhor. Um pequeno passo, mas é o suficiente para lhe tirar da paralisia, motivar novas atitudes, vislumbrar novas metas rumo ao seu objetivo de se tornar a sua melhor versão. 

Qualquer caminho que você escolher com o objetivo de melhorar sua qualidade de vida, vale a pena. 

Descubra o seu, e vá em frente.

domingo, 11 de março de 2018

Mosaico Terapêutico

Érima de Andrade

Hoje estou muito empolgada escrevendo influenciada pelas boas energias de um encontro com terapeutas ocupacionais.

Que delicia é encontrar outras terapeutas ocupacionais! Como as encontrei numa oficina terapêutica, é mais ou menos como estar num paraíso!





Para quem não sabe, terapeutas ocupacionais sofrem de solidão.
Temos um olhar amplo sobre o ser humano, temos um raciocínio terapêutico próprio da nossa formação, treinamos tanto análise de atividades, o nosso diferencial profissional, que muitas vezes a fazemos no automático, e estando com outras t.o.’s não precisamos explicar o passo a passo desse raciocínio. Isso é um paraíso!

E isso gente, é como voltar a falar a língua da pátria mãe depois de anos morando no exterior! Por isso sofremos de solidão, sofremos de carência de comunicação com quem entende o que estamos falando, como estamos pensando, e que objetivos vislumbramos numa atividade. 


Por favor, não deixem minha empolgação lhes fazer pensar que não gostamos de falar, ou explicar, o nosso trabalho.
Gostamos! Muito! Não tem terapeuta ocupacional sem paixão pelo que faz. Podem nos perguntar sempre. De verdade!

Mas voltar para casa é uma sensação especial e única, e encontrar t.o.’s dá essa sensação: voltamos para casa.

Ontem participei da
oficina de mosaico oferecida pelas queridas Márcia Garcia Rogério e Denise de M. Simões. Foi lá que encontrei t.o.’s. E gostei tanto que tentarei ir em todas as outras que surgirem por aqui, porque perto de casa também é uma felicidade.

Uma manhã com início de tarde deliciosa! Estávamos tão empolgadas, sentadas em círculo, trocando, que não foi possível respeitar o horário da programação. Desculpa aí quem estava com o horário apertado!



Mas a troca foi tão boa que custamos a perceber hora, sede, fome, programação… Não é ótimo se envolver assim numa atividade e nem sentir o tempo?





Márcia e Denise, obrigada por terem criado esse momento, essa oficina, essa atividade! Foi bom demais! 



Se você, leitor, nunca pensou no mosaico como uma atividade terapêutica, vale ler o que diz a respeito a Kátia Calaça Sperle: “O mosaico em suas variadas modalidades, em seus múltiplos materiais leva ao manuseio, ensina, cria contornos do pensamento, mão e cérebro trabalhando em sintonia. A matéria, o material selecionado para trabalhar mostra e revela o que fazer com ele, indica caminhos, abre portas, leva o autor ao processo de individuação, a busca do seu equilíbrio pelo processo de criar, de materializar os símbolos através das obras.”  

E sim, o produto final deve ser agradável para quem faz, paciente ou não. A menos que a atividade seja profissionalizante, não se cobra técnica, estética, acabamento numa oficina terapêutica. Eu gostei do resultado do meu exercício, por ter conseguido, por ter aprendido, por ter conhecido esses materiais. E orgulhosa deles, vou colocá-los aqui ilustrando também esse texto. 


 

Quer um conselho? Em terapia ou não, permita-se experimentar. Oficinas de atividades expressivas são ótimas restauradoras da alma. Se for com um terapeuta ocupacional vai ser melhor ainda, mas qualquer forma de se expressar vale a pena. 

Bora se expressar?

domingo, 4 de março de 2018

Receita Médica: Amor-Próprio

Érima de Andrade

Uma amiga foi fazer seu checape anual. Foi num clínico geral que também é endocrinologista. Anamnese, exames, conversa, e ele pega o receituário para anotar as orientações a serem seguidas em casa para o sucesso do tratamento.

Começou como todo mundo que preenche receituário, colocando o nome da paciente, minha amiga, no alto da página.
E receitou: “Amor–Próprio”. 

Só de ter escrito isso já merecia meus aplausos, mas foi além e continuou:

“1 – Aprender a não se cobrar tanto.

2 – Aprender a dizer não sem culpa.

3 – Aprender a não ter muitas expectativas de pessoas e situações." 


E completou a receita com uma seta que liga amor-próprio no alto da página, a “super prioridade” que escreveu no fim da página. Virei fã instantaneamente. Que boas orientações!

O amor é muito curativo, e alimentar o amor-próprio é responsabilidade pessoal de cada ser humano. E esses conselhos do médico ajudam muito mesmo.

Nós nascemos amando e querendo ser amados. Mas, com passar do tempo, o amor é eclipsado por crenças e choques adquiridos, e sentimos mais necessidade de receber amor do que de amar. Com isso nos desconectamos da nossa essência, e nos conectamos as máscaras, a um falso eu criado por conta da carência. Mas tem saída, é o autoconhecimento que lhe reconecta com seu melhor, e alimenta seu amor-próprio.

Sim, pode ser que você não tenha recebido o amor que gostaria, mas se está vivo e lendo esse texto, você recebeu amor de qualidade em algum momento da vida, você sabe o que é o amor. E é esse amor de qualidade que deve ser resgatado e alimentado. Cabe a você manter, expandir, aumentar o amor que vive em você. E os três conselhos do médico ajudam muito nessa tarefa.

1 - “Aprender a não se cobrar tanto.” - Você, ser humano, vivendo no planeta Terra, é imperfeito. Ponto. Nasceu aqui para evoluir, se tornar melhor. E, devo lhe informar, que se tornar melhor é muito diferente de se tornar perfeito.

Faça o seu melhor em cada momento, respeitando seus limites, habilidades e capacidades. É a consciência de ter feito o melhor em cada situação que o fará deixar de se culpar por não ser perfeito, e por consequência, deixar de se cobrar tanto.

Fazer o seu melhor não é o mesmo que estagnar no que você é capaz de fazer hoje, mas reconhecer que você fez o melhor com o que você tinha em cada momento. A medida que você aprende, se aprimora, treina ser melhor, fica melhor ainda.

E para não cair na armadilha de sofrer por um passado que você não pode mudar, torne a reconhecer que fez o melhor que você podia na época dos fatos que alimentam suas cobranças.

2 - “Aprender a dizer não sem culpa.” - 
Dizer não é dar limites. É reconhecer os seus limites e respeitá-los. As pessoas que convivem com você vão gostar de ter essa clareza, vão gostar de saber que quando você disser sim, você sabe que vai dar conta, que poderão confiar.

Quando você diz sim apenas para não se sentir culpado, para não se sentir “maltratando” o outro com sua recusa, você corre o risco dizer sim para algo que você simplesmente não consegue lidar. Você não ajuda o outro, se sente culpado por ter falhado, e não se ajuda.

Dizer sim para tudo é uma tentativa de comprar amor, e não o seu amor em ação como talvez você goste de pensar. Ao dizer sim para tudo, você inconscientemente está perguntando: “agora que eu concordei, você vai me amar?”

Se você precisa agradar os outros porque acredita que somente assim será amado, você condena seus próprios desejos, e passa a negá-los. Você deixa de saber o que quer, o que gosta, o que lhe faz bem realmente.

Se conhecer é fundamental, é o  autoconhecimento que possibilita o acesso à realidade de quem somos. 
Se você está nesse jogo de comprar amor, é porque não se sente amado. E se não se sente amado, está faltando amor-próprio em você. 

E é importante lhe informar que se lhe falta amor-próprio, não vai ter amor de fora suficiente para preencher esse seu vazio. Só o seu amor lhe preenche de fato. Só se conhecendo, se amando, você conseguirá dizer não sem sofrimento, e dizer sim com sinceridade e alegria.

3 – “Aprender a não ter muitas expectativas de pessoas e situações.”-
 Criar expectativas aqui, equivale a fantasiar situações e pessoas. É como ir ao encontro de alguém fantasiando poderes mágicos e perfeições que ele não tem.

É bem ruim sempre. Primeiro, óbvio, você se frustra ao perceber que não era nada daquilo. Segundo você se fecha para a versão real que se apresenta, e perde a oportunidade de conhecer alguém que não é como você imaginava, mas que é bem legal sendo quem é.

Fantasiar situações também é ruim pelos mesmos motivos, você se frustra, e perde a oportunidade de viver uma experiência bacana, por ter se fechado para a realidade que se apresentou.

E a realidade pode ser num evento que lhe decepcione, por ver que o bolo oferecido não é o de três andares que você imaginou, decorado, confeitado, cheio de luzes e brilhos. E frustrado por não encontrar o bolo ultra mega produzido, se fecha, recusa a experimentar, e perde a oportunidade de saborear o melhor bolo de laranja do mundo, o mais pedido, o mais premiado.

Que pena, suas expectativas lhe deixaram de fora dessa e de outras experiências. É assim que acontece em todas as situações que você cria expectativas irreais e impossíveis de serem concretizadas, você fica fora das experiências reais.

O caminho é se abrir para conhecer pessoas e situações sem preconceitos, sem fantasias, sem expectativas. É alimentar seu amor-próprio com o autoconhecimento para deixar de procurar fora o que você tem dentro e ainda não reconhece.

Como diz Prem Baba “e se é o autoconhecimento que possibilita a autorrealização, o amor, abençoados sejam os momentos que nos dedicamos as práticas de nos conhecer um pouco melhor, abençoados sejam os seus esforços.”

“Super Prioridade” - Com certeza amor-próprio é uma super prioridade! Se amar é o caminho para sua saúde e felicidade. E depende só de você.

Bora se conhecer e ser mais feliz?