domingo, 23 de abril de 2017

Vale Refletir a Respeito

Érima de Andrade

Quem é responsável por suas escolhas? Essa é uma boa história para pensar sobre as escolhas que fazemos e suas consequências. Boa leitura!

“1. Houve um Mestre que veio à Terra, nascido na terra santa de Indiana, criado nos montes místicos depois de Fort Wayne.

2. O Mestre aprendeu sobre este mundo nas escolas públicas de Indiana e, ao crescer, em seu ofício de mecânico de automóveis.

3. Mas o Mestre conhecia outras terras e outras escolas, de outras vidas que tinha vivido. Lembrava-se disso, e, lembrando-se, tornou-se sábio e forte, de modo que outros viram a sua força e o procuraram, em busca de conselhos.

4. O Mestre acreditava que tinha o poder de ajudar a si mesmo e a toda a humanidade, e, acreditando, assim era para ele, de modo que viram seu poder e o procuraram para se curar de seus problemas e doenças.

5. O Mestre acreditava que todo homem deve considerar-se filho de Deus, e, acreditando, assim era, e as oficinas e garagens em que trabalhava se apinhavam com aqueles que procuravam a sua sabedoria e o contato com ele, e as ruas de fora ficavam cheias daqueles que desejavam apenas que a sombra de sua passagem pudesse cair sobre eles, modificando suas vidas.

6. Aconteceu por causa da multidão, que os vários contramestres e chefes da oficina pediram ao Mestre que largasse s ferramentas e seguisse o seu caminho, pois havia tanta gente em volta dele que nem ele nem os outros mecânicos conseguiam trabalhar nos automóveis.

7. E assim foi que ele seguiu para os campos, e os que iam com ele começaram a chama-lo de Messias, o que operava milagres, e, como eles acreditavam, assim era.

8. Se sobreviesse uma tempestade, enquanto ele falava, nem uma gota tocava a cabeça de seus ouvintes, o último da multidão ouvia suas palavras tão claramente quanto o primeiro, mesmo que houvesse raios ou trovões no céu. E sempre lhes falava em parábolas.

9. E lhes disse: “Dentro de nós está o poder de nosso consentimento para a saúde e a doença, a riqueza e a pobreza, a liberdade e a escravidão. Somos nós que controlamos isso, e não os outros.”

10. Um moleiro disse: ‘Essas palavras são fáceis em tua boca, Mestre, pois és guiado como não somos nós, e não precisas trabalhar como trabalhamos. O homem tem de trabalhar para ganhar a vida neste mundo.’

11. O Mestre respondeu: “Uma vez havia uma aldeia de criaturas no fundo do leito de um grande rio cristalino.

12. “A corrente do rio passava silenciosamente por cima de todos eles, jovens e velhos, ricos e pobres, bons e maus, a corrente seguindo seu caminho, só conhecendo o seu próprio ser cristalino.

13. “Cada criatura, a seu modo, se agarrava fortemente ás plantas e pedras do leito do rio, pois agarrar-se era o seu modo de vida, e resistir à corrente era o que cada um tinha aprendido desde que nascera.

14. “Mas uma das criaturas disse, por fim: ‘Estou farto de me agarrar. Embora não possa ver com meus próprios olhos, espero que a corrente saiba onde está indo. Vou soltar-me e deixar que ela me leve para onde quiser. Se me agarrar, morrerei de tédio.’

15. “As outras criaturas riram-se e disseram: ‘Louco! Se você se soltar, essa corrente que você adora o lançará despedaçado sobre as pedras e sua morte será mais rápida do que a causada pelo tédio!’

16. Mas aquele não lhes deu ouvidos e, respirando fundo, soltou-se, e imediatamente foi lançado e despedaçado pela corrente sobre as pedras!

17. “Mas com o tempo, como ele se recusasse a tornar a se agarrar, a corrente o levantou, livrando-o do fundo, e ele não se machucou nem se magoou mais.

18. “E as criaturas mais abaixo no rio, para quem ele era um estranho, exclamaram; ‘Vejam, um milagre! Uma criatura como nós, e no entanto voa! Vejam, é o Messias que chegou para nos salvar!’

19. “E aquele que foi carregado pela corrente disse: ‘Não sou mais Messias do que vocês. O rio tem prazer em nos erguer à liberdade, se ousamos nos soltar. O nosso verdadeiro trabalho e essa viagem, essa aventura.’

20. “No entanto, cada vez exclamavam mais ‘Salvador!’, enquanto se agarravam às pedras; quando tornaram a olhar, ele se fora, e eles ficaram sozinhos, inventando lendas sobre um Salvador.”

21. E quando viu que a multidão cada vez o seguia mais de perto, mais terrível do que nunca, quando viu que insistiam para que ele os curasse sem descanso, e sempre os alimentasse com seus milagres, e aprendesse por eles e vivesse suas vidas, foi sozinho para o topo de um morro e rezou.

22. E disse em seu íntimo, Ser Infinito Radioso, se for a tua vontade, deixa que essa taça passe de minhas mãos, deixa-me pôr de lado esta tarefa impossível. Não posso viver a vida de uma outra alma, no entanto dez mil me imploram a vida. Sinto ter permitido que tudo isso acontecesse. Se for a tua vontade, deixa-me voltar aos motores e às ferramentas e viver como os outros homens.

23. E uma voz lhe falou no topo do morro, uma voz que não era de homem nem de mulher, nem forte nem fraca, uma voz infinitamente bondosa, que lhe disse:
Não a minha vontade, mas a tua seja feita. Pois o que for a tua vontade será a minha vontade para ti. Segue o teu caminho como os outros homens e sê feliz na Terra.”

24. E ao ouvir aquilo o Mestre alegrou-se, deu graças e desceu de cima do morro cantarolando uma cançãozinha de mecânico. E quando a turba o atormentava com seus males, implorando que os currasse, aprendesse por eles, os alimentasse constantemente com sua compreensão e os divertisse sempre com suas maravilhas, ele sorriu para a multidão e disse amavelmente: “Eu desisto.”

25. Por um momento a multidão ficou muda de espanto.

26. E ele lhes falou: ‘Se um homem dissesse a Deus que o que queria mais que tudo era auxiliar o mundo sofredor, fosse qual fosse o preço para si, e Deus lhe respondesse o que devia fazer, o homem deveria fazer o que lhe era ordenado?”

27. “Pois claro, Mestre!” exclamaram. “Devia ser para ele um prazer sofrer as torturas do próprio inferno se Deus lhe pedisse!”

28. “Não importa quais fossem essas torturas, nem a dificuldade da tarefa?”

29. “Seria uma honra ser enforcado, uma glória ser pregado a uma árvore e queimado, se fosse isso que Deus pedisse,” disseram eles.

30. “E o que fariam vocês”, perguntando o Mestre à multidão, “se Deus lhes falasse diretamente, em pessoa, e dissesse: ‘ORDENO QUE SEJAS FELIZ NO MUNDO, ENQUANTO VIVERES.’ O que fariam então?”

31. E a multidão calou-se e nem uma voz ou som foi ouvido sobre morros e pelos vales.

32. E o Mestre disse: “No caminho de nossa felicidade encontramos o conhecimento para o qual escolhemos esta vida. É assim que aprendi hoje e prefiro deixá-los agora para seguirem o seu caminho, como desejarem.”

33. E seguiu o seu caminho no meio da multidão e voltou ao mundo dos homens e dos motores.” Richard Bach

Repetindo a parte que mais gosto: “Não a minha vontade, mas a tua seja feita. Pois o que for a tua vontade será a minha vontade para ti.”

Bora assumir o que de fato desejamos, e caprichar nas escolhas que levem a realização da sua felicidade. 

domingo, 16 de abril de 2017

Rede de Apoio e Proteção

Érima de Andrade

Desculpe se você entrou neste post esperando saber mais sobre a rede/tela que é usada em janelas altas, ou piscinas, para prevenir acidentes. Não é sobre isso o post de hoje.

Vamos conversar sobre a rede social, afetiva e amorosa que temos, e alimentamos, ao longo da nossa vida.
Uma rede de proteção que acolhe, inclusive naqueles momentos que você parece estar só.

Amigos, mesmo os que a vida no momento só permite contato virtual, formam a sua rede de proteção.
A tecnologia só vem confirmar o que os sábios dizem há séculos: as distâncias não existem. Longe é um lugar que não existe. Para estar perto, basta querer.

E claro, não estou colocando essa rede invisível no mesmo nível de vibração que o toque, o abraço, o olho no olho.
São importantes, mas se sentir parte de uma rede é essencial.

Se você de repente, do nada, sentiu uma sensação boa, pode apostar, foi um pensamento positivo enviado para você da sua rede de proteção. Ou uma oração, ou uma prece. Pode ter começado até por uma música, que despertou uma lembrança, que produziu uma vibração boa e você recebeu.

A física quântica explica isso. Mas não lembro mais a explicação, porque para mim, não faz diferença saber tecnicamente. “É sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti”, canta Ana Vilela. É isso!

Sua rede de proteção é aquela que você liga através dos sentidos, das sensações, emoções, vibrações, pensamentos, sentimentos. Tudo isso é energia. Você transmite e recebe.

Um perfume pode ligar sua rede, o som do ar num espaço amplo pode ligar sua rede, um momento de cor especial do céu pode ligar sua rede. E aqui falo de mim. O céu no fim de tarde, no pôr do sol, em cores entre rosa e laranja, me liga a um sentimento especial, desde a minha infância.

Minha avó nunca me deixou esquecer uma conversa que tivemos quando eu tinha entre 4 e 5 anos. Ela me viu parada perto da janela olhando o céu. Ficou observando um pouco, estranhou tanta concentração. Vale explicar que, na época, meu avô me chamava de mosquito elétrico, então eu estar parada, concentrada, olhando o céu, era diferente do habitual. Me perguntou o que eu tanto olhava? Expliquei: “Está vendo aquela nuvem rosa ali, vovó? Era lá que eu morava. Quando ela chegou perto daquele morro, eu desci, vim andando e fui morar com meus pais.” (sic)

E até hoje, é nesse momento de conexão com o céu rosa, que faço minhas preces mais silenciosas, e mais profundas. Na minha rede de proteção tem o céu.

Meu pai está internado. A vezes nas visitas ele está dormindo, outras vezes não, mas repito sempre o mesmo ritual. Rezo com ele o Santo Anjo. Mas antes explico que vamos rezar para que ele não esqueça nunca, que o seu Anjo da Guarda está sempre ali:

"Santo Anjo do Senhor,
Meu zeloso guardador,
Se a ti me confiou a piedade divina,
Sempre me rege, me guarde,
Me governe e me ilumine.
Amém." 


Não foi uma ideia minha, sigo o que a mãe dele fazia para ele dormir tranquilo. O Anjo da Guarda com certeza faz parte da rede do meu pai.

Tenho uma paciente que criou um ritual para quando o marido precisa passar uma ou duas noites fora de casa: ela borrifa o perfume dele no lençol, no lado que ele dorme na cama. E, invariavelmente, acorda e se pega deitada daquele lado. Sempre me explica que nunca “invadiu” o lado com ele em casa, mas quando ele não está, é lá que ela acorda. E não, já respondeu ao marido, não quer trocar de lado na cama.

Conversamos a respeito e ficou claro que se sentia perto dele mesmo ele não estando, e isso lhe dava tranquilidade. No caso dela, a rede de proteção é ativada por memórias olfativas. É dessa rede de proteção que todos temos, que estou falando hoje.

Quem já frequentou uma reunião de estudos budistas, já ouviu falar de sanga. Se você pesquisar vai saber que sanga é aproximadamente como uma associação, assembleia ou comunidade com um objetivo comum. Mas na prática, sanga é mais que isso, é uma palavra usada por eles, não sei de que idioma, que significa que você pertence aquele grupo. E essa sensação de fazer parte, continua mesmo que você não frequente mais os encontros e reuniões.

Rede de proteção é isso, fazer parte de uma sanga. Não conheço palavra em português com esse significado. A mesma dificuldade que estrangeiros têm de explicar saudades, já que compreendem o significado, mas não tem no vocabulário deles. No meu, só sanga explica esse sentimento de rede de proteção.

E saiba, você tem uma sanga mesmo que você não seja budista. Você pertence a um grupo de amores, amigos, afetos, família, que se cultivado, lhe dão a sensação de pertencimento, e graças a isso, você se sente protegido e amparado mesmo que esteja sozinho.

O que é importante lembrar, é que se você não quiser, não acontece. Você tem que alimentar essa energia, essa fonte de boas vibrações. E se escolher alimentá-la, abra-se para colheita do que plantar. Sim, porque a vibração que vem para você, é a mesma que você mandar.

É sempre uma escolha a plantação. Só vai nascer o que você plantar e cultivar. Não tem milagre, magia, feitiço, física quântica que faça o pé de jaca que você plantou, virar uma roseira. Quer rosa, plante rosas. Quer vibrações positivas, cultive-as em você primeiro. Uma vez que suas vibrações transbordem, seus queridos vão receber. E você também vai começar a sentir quando as deles transbordarem.

Escolha seus pensamentos e cuide de vibrar na frequência do que você deseja experimentar. A vida está acontecendo exatamente nesse momento, e esse momento é o momento perfeito para você alimentar a sua rede de boas vibrações.

Bárbara Petri sempre me inspira. Talvez essas reflexões dela lhe ajude a alimentar hoje sua rede de proteção e amor.

“Que energia eu quero convidar para fazer parte da minha vida hoje?
​Que intenções, crenças e ideias eu irei descartar e quais eu irei nutrir? O que pode e pede para ser deixado para trás e o que eu quero que floresça?" Bárbara Petri

"E da mesma forma que as primeiras respostas fluíram do meu Ser, eu percebo que agora também elas chegam até mim de forma clara: eu quero nutrir o amor infinito que Sou, eu quero permitir que a consciência preencha cada aspecto da minha experiência, e eu descarto toda crença que tenta me dizer que há algo em mim que não seja plena luz.” Bárbara Petri 



Que você sempre se sinta pertencendo, conectado e amparado.

domingo, 9 de abril de 2017

Adiemus: vamos aproximar

Érima de Andrade

Essa música, Adiemus, me envolveu ao longo dessa semana de várias maneiras.
E ao longo da semana, ela me ajudou a ter uma compreensão profunda: somos, de fato, um só.

Desejo que todos vocês, tenham a oportunidade de se sentir um com o todo. De sentir que estamos ligados por uma rede de amor, que envolve, conforta e aconchega. Desejo que tenham confiança na vida, sabendo que o melhor sempre se manifesta. Sempre. Mesmo que no momento não consigamos ver assim.

Tudo o que você viveu serviu para lhe transformar na pessoa que você é hoje. E ser essa pessoa tão legal que hoje você é, é a confirmação concreta que o amor guia as nossas vidas. O amor nos faz um. Um com todos.

Se ainda não se sente assim, podemos nos aproximar com essa música atemporal e universal, que é cantada com sons totalmente destituídos de significados. Não se traduz. Você apenas sente e compreende. Seu coração se encarregará de dar um significado para a melodia a partir do que você estiver vivendo hoje. E todos os dias, os significados poderão mudar.

Essa letra foi escrita de forma a permitir que a voz soe como um instrumento a mais no conjunto. Se quiser cantar junto, acompanhe a letra. Se quiser apenas descobrir que significado seu coração vai dar a essa canção hoje, feche os olhos e escute. Adiemus, vamos aproximar. Estamos juntos.

Lembre-se, a paz está na alma. Permita que ela se manifeste em você com ou sem música.

                                 

Adiemus: Songs of Sanctuary

"Ariadiamus late ariadiamus da
Ari a natus late adua

A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te la-te-a

Ariadiamus late ariadiamus da
Ari a natus late adua

A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te la-te-a

A-na-ma-na coo-le ra-we
A-na-ma-na coo-le ra

A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la

Ah-ya-doo-ah-eh
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-ya-doo-ah-eh...
A-ya doo a-ye
A-ya doo a-ye

A-na-ma-na coo-le ra-we
A-na-ma-na coo-le ra

A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la

Ah-ya-doo-ah-eh
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-ya doo a-ye
A-ya doo a-ye

A-ri-a-di-a-mus la-te
A-ri-a-di-a-mus da
A-I-a na-tus la-te a-du-a.

A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te
A-ra-va-re tu-e va-te la-te-a.
A-na-ma-na coo-le ra-we

A-na-ma-na coo-le ra
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la

Ah-ya-doo-ah-eh
A-na-ma-na coo-le ra-we a-ka-la
A-ya-doo-ah-eh
A-ya doo a-ye
A-ya doo a-ye

Ya-ka-ma ya-ma-ya-ka-ya me-ma
A-ya-coo-ah-eh mena
Ya-ka-ma ya-ma-ya-ka-ya me-ma

A-ya-coo-ah-eh mena
Ya----ka--ma me--ah
A-ya-coo-ah-eh mena
Ya----ka--ma me--ah"


Já falei dessa música aqui no blog. Se quiser dar uma olhada, eis o link.

domingo, 2 de abril de 2017

O pobre coitado, coitadinho

Érima de Andrade

Como é cansativo conviver com o pobre coitado.
Coitadinho, tão incapaz para tudo. Incapaz de autonomia, independência, incapaz de felicidade. Como ser feliz se tudo o que eu quero da vida é que tenham pena de mim?

E se eu ficar feliz por sentirem pena de mim, tenho que manter a felicidade camuflada, senão a pena acaba e não tem mais como manipular a atenção das pessoas.
Como chamar atenção sem provocar pena? Ó céus, ó vida, ó azar, como sair dessa armadilha de perde e perde?

Pobres coitados, de modo geral,
sempre de modo geral porque cada caso é um caso mesmo, dão ao mundo externo poder sobre si e sobre sua vida. Muitos coitadinhos procuram fora de si as soluções das suas dores.

Se você tem certeza que é vítima das circunstâncias, que os outros estão com as rédeas da sua vida, e do seu equilíbrio, você precisa mesmo fazer de tudo para chamar a atenção do mundo. Você pode ter pena de si mesmo e se tornar um coitadinho, ganhando a atenção que necessita. Mas já fica sabendo que ter pena de si nunca foi uma solução.

Colocar o poder da sua vida no outro é se desresponsabilizar. E ao se desresponsabilizar, coitadinhos criam uma ausência de si mesmos que os impedem de ser protagonistas na própria vida. E consequentemente, de acreditar na possibilidade de estar em si a sua própria fonte de soluções para uma vida melhor.

Ser o coitadinho, e estar entregue à negatividade, significa que o investimento do poder, da força e da energia, está direcionado, e focado, na vitimização e no drama. Esse prazer negativamente orientado, alimenta a necessidade do vazio interno, de ser sempre aquela pessoa de quem todos têm pena.

É uma forma bem triste de mendigar atenção, carinho, aconchego, e de esconder o medo de encarar a vida de cabeça erguida. Tem muito a ver com imaturidade. Coitadinhos sofrem por colocar o foco no sofrimento, em vez de focar nas soluções dos seus problemas.

Coitadinhos perderam seu senso de valor, buscam fora de si a comprovação que não acham dentro. E se o mundo não valida suas expectativas de valorização, confirmam a crença de que são pessoas que não têm valor próprio, que não têm nada de especial, que não valem a pena.

Crença confirmada, rótulo de coitadinho, de vítima, colocado sobre si mesmo, e está feita a barreira que deixa cada vez mais longe a necessidade de se responsabilizar por seu crescimento, e pelas circunstâncias da sua desejada vida feliz.

Comportamentos e hábitos destrutivos não levam a lugar algum que valha a pena. Entendeu bem, coitadinhos são autodestrutivos. Ou que nome você daria para alguém que se desvaloriza tanto que passa a acreditar que é incapaz?

É verdade que viver na negatividade é um estado de dor. Viver nessa escuridão dá desespero, pois fica sem ter perspectiva de resolução objetiva dos seus problemas. Mas essa perda de visão é o sinal de que algo tem de ser transformado.


Para sair desse estado sombrio tem que decidir primeiro, interna e profundamente, querer mudar. E mudar aqui significa se conhecer, descobrir ou redescobrir o seu valor. Sim, parece cruel, mas é verdade: primeiro tem que se responsabilizar pela sua mudança, só assim para deixar de ser o pobre coitado.

Não tem como mudar fora sem mudar dentro. Mudar fora, de emprego, parceiro, profissão, casa, e continuar a pensar da mesma maneira, agir da mesma maneira, responder aos acontecimentos da mesma maneira, não muda nada. A mudança pela mudança não muda absolutamente nada se você não se transformar internamente primeiro.

Se você não se transformar internamente primeiro, você vai continuar atraindo para sua vida os mesmos tipos de situações, de problemas e de pessoas.O caminho da cura é sempre interno, olhando para dentro, colocando luz, se conhecendo. Períodos de crises e de depressões, são uma forma da vida alertar que o caminho não é esse, que alguma coisa não está bem, que precisa uma mudança.

Ao olhar para dentro, ao reconhecer seu valor, é possível acabar com as crenças auto sabotadoras. É possível entender que a vida é muito mais que mendigar afeto, amor e compreensão. É possível conquistar autonomia e crescimento.

Olhar para dentro é importante porque, na maior parte das vezes, o coitadinho não tem consciência da profundidade e origem das suas convicções. E são essas convicções que o levam para o fundo do poço, à espera de um alguém, externo, que venha para lhe socorrer.

Autoconhecimento é o melhor caminho, porque coloca luz na sua história, permite que você ressignifique o seu passado, se perdoe e siga em frente.

Olhar para dentro pode ser começar com a pergunta: como eu posso me amar mais nesse momento e iniciar meu processo de transformação?

Talvez você descubra que tem que começar se perdoando. Perdoar não é fácil. Dá um trabalho imenso Mas, sem sombra de dúvida, vale cada milímetro do esforço de ressignificar o que você viveu. Perdoar é parte da cura de qualquer processo de dor.

E o próximo passo, claro, começar a agir diferente. O que, normalmente, chamamos de problemas, pode ser um poderoso estimulo para a sua mudança necessária. Acredite, tudo o que aconteceu na sua vida serviu para lhe trazer a este exato momento. E este momento é tudo que você precisa para caminhar na direção da sua felicidade.

Se conhecer é um exercício diário. A decisão de mudar tem que ser sua, mas não precisa mudar sozinho. Se precisar de companhia, não hesite em pedir ajuda.

Você tem o poder de deixar de ser o pobre coitado, use-o.


domingo, 26 de março de 2017

De novo, novo endereço

Érima de Andrade

Ano novo, vida nova. Dizem os astrólogos que o ano, de fato, começou agora, no equinócio de outubro.
Então é um bom momento para contar para vocês sobre a sala onde farei os atendimentos presenciais.

Por conta de uma paciente que não tinha possibilidade de conversar por Skype, saí atrás de um lugar onde pudesse atender, uma vez que os dois outros endereços fixos que usei, não estão mais disponíveis.

Sai atrás, no meu caso, significa: perguntei para as amigas se conheciam um lugar que eu pudesse sublocar. E amigas são mesmo tudo de bom!

A Cristina me disse que o marido, Rodnei Martins, que trabalha com Qi Gong, Shiatsu, Acupuntura, e dá aulas de Lian Gong em 18 Terapias, tem uma sala e não a usa terças e quintas antes das 17 horas. Ótimo!

E o melhor, perto da minha casa! Sinto muito se ficou ruim para vocês que não moram por aqui na Região Oceânica, mas para mim ficou perfeito! :)


Mentira, não sinto muito não... amei ser aqui perto! Anotem aí: Estrada Francisco da Cruz Nunes, 4901, sala 202 – Itaipu – Niterói - RJ

Olhem como ficou simpática a mesa pronta para receber vocês:


Acredito que vocês já conheçam Shiatsu e Acupuntura. Mas a maioria, eu inclusive, não sabe o que é Qi Gong, nem Lian Gong. Como eu agora já sei, vou contar: são métodos tradicionais chineses de promoção de saúde, alguns chamam de ginásticas chinesa.

“O termo Qi Gong (pronuncia-se Chi Kung) se refere a um ramo da Medicina Tradicional Chinesa, que visa a mobilização da energia sutil do corpo (Qi), a correção de desarmonias e o reestabelecimento do equilíbrio da saúde física e emocional do praticante.”

“Dentre os benefícios principais dos praticantes de Qi Gong, destacam-se o restabelecimento da circulação adequada da energia e do sangue pelo corpo; o fortalecimento da respiração, circulação e digestão; o alívio do estresse do dia a dia; a absorção e armazenamento de Qi e a eliminação de energias perversas através do fortalecimento do sistema imunológico.”

Lian gong, (pronuncia- se Liam Cum) é um dos primeiros sistemas de prática corporal oriental a integrar a tradição milenar das artes corporais chinesas aos modernos conhecimentos da medicina ocidental.
A prática do Lian Gong se fundamenta nos mesmos conceitos básicos da medicina Tradicional Chinesa que fundamentam a massagem Tui Na, a Acupuntura, a Fitoterapia Chinesa e o Qi Gong: o Qi, os Meridianos e a relação Yin e Yang.”

“Composto por uma série de 18 exercícios, o Lian Gong combate de lombalgias a dores nas articulações. Sua prática ajuda a aliviar tensões, diminui a irritação, aumenta o tônus muscular e corrige a má postura. Os exercícios, que devem ser conduzidos com foco na respiração e nos pés bem plantados no solo, alongam o corpo inteiro - da coluna cervical aos dedos do pé - com suavidade. Um de seus maiores benefícios é o alívio das dores nas costas.”

“O Lian Gong ajuda na circulação do sangue, dissolve aderências e inflamações dos tendões, restaura a movimentação natural, melhorando a resistência e a vitalidade do organismo.”


Gostaram? Agora que vocês já sabem as novidades do novo endereço, eis os contatos para quem quiser saber um pouco mais:

Psicoterapia:
Érima de Andrade
Terapeuta Ocupacional
Crefito 2 4284

21 26099092
21 979533133
erimacba@gmail.com

Qi Gong; Shiatsu; Acupuntura; Lian Gong:
Rodnei Martins
Cerificado pela Associação Brasileira de Lian Gong em 18 Terapias

21 26191444
21 996084139
martins.rodnei@yahoo.com.br

"A plenitude da atividade humana é alcançada somente quando nela coincidem, se acumulam, se exaltam e se mesclam o trabalho, o estudo e o jogo; isto é, quando nós trabalhamos, aprendemos e nos divertimos, tudo ao mesmo tempo... É o que eu chamo de ócio criativo, uma situação que, segundo eu, se tornará cada vez mais difundida no futuro." 
Domenico De Masi

Comigo é assim mesmo, trabalho, aprendo e me divirto.


domingo, 19 de março de 2017

Falemos de Depressão.

Érima de Andrade

Sim, é preciso falar de depressão muitas e muitas vezes,
para acabar com essa falta de informação que faz com que deprimidos tenham que explicar, sem sucesso, que não lhes falta vontade, eles simplesmente não conseguem fazer.

Mais e mais pesquisas mostram porque deprimidos não conseguem reagir e acabar com esse estado permanente de desinteresse pela vida:
sofrem de uma doença, depressão, que se caracteriza por desequilíbrios químicos dos neurotransmissores.

Deixando mais claro ainda: depressão não é um estado de ânimo de uma personalidade fraca, ou preguiçosa. Depressão é uma doença, provocada por fatores que podem causar problemas na função cerebral, entre eles a atividade anormal de alguns circuitos neurais.

Especificamente, na depressão, ocorre um desequilíbrio entre as substâncias cerebrais que mediam o humor e as emoções. Os neurotransmissores responsáveis por transportar as informações relacionadas à sensação de prazer, serenidade, disposição e bem-estar, estão em desequilíbrio.

E esse desequilíbrio, pode desencadear um série de respostas fisiológicas, que levam aos sintomas mais comuns da depressão, tristeza, apatia, falta de motivação, melancolia, irritação, dificuldade de concentração, pessimismo, culpa, desespero, insegurança, entre outros, e que podem vir combinados entre si.

Portanto, dizer a um deprimido que ele precisa se distrair, tomar vitaminas, e se esforçar, só aumenta a angustia de quem quer, e muito, ir viver a vida, mas não consegue.

Os fatores psicológicos e sociais que afetam os deprimidos, muitas vezes são consequência, e não a causa da depressão, como normalmente se pensa. A sensação persistente de tristeza, ou perda de interesse por atividades que antes eram prazerosas, pode levar a sintomas físicos e comportamentais como alterações no sono, no apetite, no nível de energia, na concentração e na autoestima.

Pesquisas confirmam que a depressão é uma combinação de sintomas biológicos, psicológicos e sociais. O estresse é um dos gatilhos para desencadear a depressão. O sofrimento com perdas também é. Depressão é sim uma questão fisiológica, uma doença, que precisa ser diagnosticada e tratada.

Preconceito e desinformação tornam a vida dos deprimidos muito mais difícil. Depressão, repito, é doença, e não falta de vontade, nem de caráter e nem fraqueza. A boa notícia é que tem tratamento.

É preciso acompanhamento médico, tanto para o diagnóstico, quanto para o tratamento. A base geral do tratamento inclui medicamentos, psicoterapia ou os dois. Os medicamentos corrigem o desequilíbrio neural, e a psicoterapia atua nas questões emocionais envolvidas.

Vários medicamentos podem ser usados na depressão, mas eles não curam a doença, eles amenizam os sintomas. Para ajudar a evitar as recorrências, é importante combinar medicamento com psicoterapia. Medicamentos e psicoterapia não são opostos, são complementares.

Na psicoterapia o paciente aumenta sua compreensão do processo de depressão, aprende a identificar e modificar crenças e comportamentos disfuncionais, descobre novas formas de resolução de conflitos, o que pode, e pede, para ser deixado para trás, e o que deve ser nutrido, tem a oportunidade de ressignificar a sua história, de receber auxilio para a retomada das suas atividades e da sua reintegração social.

Psicoterapeutas não fazem milagres, e as mudanças não são rápidas, nem automáticas. Não é mágica, mas progressivamente, o paciente vai ficando mais seguro das suas escolhas, e suas mudanças se tornam mais sólidas, diminuindo assim, a probabilidade de recaídas.

A construção de uma aliança terapêutica possibilita olhar as dificuldades com a profundidade necessária para que as transformações aconteçam. Com sabedoria e compaixão, é possível perceber que a tristeza, mesmo profunda, é passageira. Estamos num processo contínuo de transformação. E podemos nos tornar a transformação que queremos no mundo: menos tristeza, mais alegria.

A Organização Mundial da Saúde, numa tentativa de diminuir a desinformação, criou um vídeo chamado “Eu tinha um cachorro preto, seu nome era depressão”. Essa historinha, tem a intenção de ajudar pessoas a entender um pouco mais sobre essa doença. Informação salva vidas, compartilhe.


domingo, 12 de março de 2017

Boa Prática!

Érima de Andrade

Em muitas ocasiões, Sri Prem Baba convida a fazer um minuto de silêncio antes das principais atividades do dia. (Se você tiver curiosidade, pesquise na internet e achará muitas matérias sobre o “1 minuto de silêncio”).

Esses momentos de silêncio ajudam a lhe colocar presente no que você for fazer.
E estando presente, isso é, não pensando em algo que já passou, nem ansioso por algo que ainda não aconteceu, você adquire clareza, e pode organizar, e escolher, os pensamentos que lhe interessam para o dia que está começando. Ao mesmo tempo, com clareza, pode eliminar aqueles pensamentos que não servem mais aos seus propósitos.

Sri Prem Baba orienta: “Sente-se num lugar confortável e feche os olhos. Alinhe-se, mantendo a cabeça no prolongamento da coluna. Relaxe ombros, braços e pernas, mantendo a coluna ereta, sem rigidez. Respire suave e profundamente pelas narinas e, a cada expiração, permita-se relaxar mais e esvaziar-se de qualquer preocupação, desejo ou agitação. Permita-se escutar o silêncio e, quando algum som rompê-lo, acolha sem julgar. Permaneça nesse campo de silêncio que, às vezes, é preenchido por sons que surgem e desaparecem. Coloque atenção plena na escuta do silêncio, que é permanente, e não se perturbe com os sons impermanentes que o interrompem. Não julgue; não pense sobre eles - apenas deixe passar.

Simples e poderoso exercício para ampliar sua percepção, lhe acalmar quando for necessário, e lhe preparar para suas atividades.

Fazer silêncio é o primeiro passo para a prática da meditação. Se você implica com a ideia de meditar, não precisa ir adiante na prática. Mantenha-se nesse primeiro passo, e em pouco tempo você perceberá, na sua vida, os benefícios de fechar os olhos e simplesmente prestar atenção na sua respiração, mesmo que seja apenas por um minuto.

Mas se quiser começar a meditar, um bom caminho é explicado nesse vídeo breve, esclarecedor e inspirador. Dê uma olhada:



                                

Por que estou insistindo nisso? Porque uma pesquisa da Universidade de Harvard chamou minha atenção para os benefícios da prática da meditação, e resolvi escrever a respeito. A pesquisa é considerada o primeiro estudo a comprovar que a meditação produz mudanças na massa cinzenta do cérebro, em apenas 8 semanas.

Diferente de outras pesquisas, e existem muitas, que se baseavam nos questionários, na frequência cardíaca e pressão arterial dos participantes, nesse estudo, foi usado a tomografia computadorizada por emissão de fóton único, mais conhecida por SPECT, por conta do seu nome em inglês: Single photon emission computed tomography.

Os resultados estão provando que é verdade o que os yogis têm sustentado por séculos: yoga e meditação podem afastar o estresse e a doença, melhorar atenção, concentração, foco, memória e humor. E a tecnologia pode mostrar o quanto isso é efetivo.

Os resultados do estudo mostraram muito mais que efeitos psicológicos. Mostraram que existe um verdadeiro efeito biológico com a prática da meditação, com destaque para o reforço na resposta do sistema imunológico, melhora na cognição, ativação de partes do cérebro responsáveis pela memória, além dos benefícios conhecidos como regulação da pressão arterial, e melhora no sono, humor e diminuição dos sintomas ligados ao estresse e à ansiedade.

Para fazer a pesquisa, era necessário escolher uma prática, de preferência fácil, rápida, possível de ser feita por pessoas ocupadas, e que pudesse ser repetida em qualquer idioma. Escolheram o Kirtan Kriya, uma meditação de 12 minutos, baseada nos cinco sons primitivos: Saa, Taa, Naa, Maa (sendo o aa o quinto som).

Na tradição oriental, os kriyas são usados para ajudar o corpo, o intelecto e as emoções a chegarem a um equilíbrio. Eles explicam que quando integramos respiração, movimento e outros exercícios, como entoar mantras, a mente se torna mais focada e clara, as emoções se tornam mais equilibradas e o função neuromuscular melhora.

Sa, Ta, Na, Ma, vêm do mantra Sat Nam, que significa minha verdadeira essência. Em sânscrito Saa significa o nascimento ou infinito, a totalidade de tudo o que sempre foi, é ou será; Taa significa vida, existência e criatividade que se manifesta do infinito; Naa significa morte ou cessação, a mudança e a transformação da consciência; Maa significa renascimento, regeneração e transformação que nos permite experimentar conscientemente a alegria do infinito.

Acredito que você já está se perguntando se é essencial usar estes sons durante a meditação, ou outros sons podem ser usados como um substituto? Vi essa pergunta quando pesquisei para escrever esse post. Eis a resposta:

“Do ponto de vista Oriental, acredita-se que colocando a língua no céu da boca, emitindo estes sons, você vai estimular 84 pontos de acupuntura no palato superior. Isto faz com que aconteça uma biotransformação benéfica no seu cérebro. Além disso, a investigação tem revelado que o uso da posição da ponta do dedo, em conjugação com os sons, melhora o fluxo sanguíneo em áreas específicas do cérebro, que regulam as partes motoras e sensoriais.”

Sim, ponta dos dedos. Além de cantar o mantra, é preciso fazer os mudras, que são as posições das mãos que influenciam a energia do seu corpo físico, emocional e espiritual. No Kirtan Kriya, cada som tem uma postura, e as posições dos dedos, são muito importantes:

                                  
Começou a achar muito complicado meditar, mesmo com a imagem das posturas? Então leia o que diz um artigo da Fundação de Pesquisa e Prevenção de Alzheimer sobre esse estudo:

“O que a varredura SPECT do estudo mostrou antes de fazer Kirtan Kriya?

Em um dos exames cerebrais, vimos que as covinhas na frente do cérebro mostram uma falta de fluxo sanguíneo completo. A área localizada na região posterior do cérebro é irregular e assimétrica, também devido à falta de fluxo sanguíneo. No centro do cérebro, nenhum tálamo é visível.




O que um exame SPECT do mesmo cérebro descrito acima mostra depois de fazer Kirtan Kriya?

Uma varredura SPECT do mesmo cérebro mostrou que as covinhas tinham desaparecido, mostrando um aumento no fluxo sanguíneo. A parte traseira do cérebro é mais cheia e mais simétrica. O tálamo é agora visível no centro do cérebro. O tálamo controla o apetite e os ciclos do sono, define o tom emocional da mente, e promove a ligação.”
                                                                                                                                          
                                                                                       SPECT Scans  -  Fundação de Pesquisa e Prevenção de Alzheimer.

A Fundação para a Pesquisa e Prevenção da doença de Alzheimer considera que as diferentes práticas do Kirtan Kriya (postura, sons, mudras) são vitais para o resultado global, e recomendou a prática da maneira tradicional para obter o máximo de benefícios do exercício.

Agora se interessou em aprender? Eu sim, e corri atrás. Então eis os passos básicos para você começar também a se beneficiar com essa boa prática:

Postura: Sente-se em postura fácil com a coluna ereta, isto é, cabeça, pescoço e dorso, formando uma linha reta.

Olhos: Concentre-se no ponto entre as sobrancelhas, mesmo que esteja de olhos fechados.

Mudras: cotovelos retos enquanto entoa, começando com as mãos em gyan mudra. Cada dedo toca a ponta do polegar com uma pressão firme, mas suave. Comece a partir do dedo indicador.

Voz: o mantra Saa Taa Naa Maa é cantado nas três linguagens da consciência:
Alta(a voz humana) – consciência das coisas do mundo;
Sussurro (a voz dos amantes) – experimentando o anseio de pertencer;
Silêncio ( a voz do divino) – medite no Infinito ou vibre mentalmente.

Enquanto entoa, imagine o som fluindo através da parte superior de sua cabeça e saindo no meio de sua testa. Comece em voz normal por 2 minutos, sussurre por 2 minutos, então vá profundamente ao som, vibrando mentalmente por 4 minutos. Em seguida, inverta a ordem, sussurrando por dois minutos, depois em voz normal durante mais dois minutos, somando um total de doze minutos.

Para sair completamente da meditação: inspire profundamente, levantando os braços para cima e agite vigorosamente braços e dedos. Você pode envolver todo o corpo e a coluna vertebral nesse movimento. Expire. Repita 1 ou 2 vezes, ou pelo tempo que você desejar. Esta é uma parte importante da meditação, pois ajuda a mover e liberar a energia do corpo.

Relaxe por alguns minutos antes de ir para o seu dia. Ou, se fizer antes de dormir, simplesmente vá dormir.

Ao fazer a meditação: você pode ser surpreendido por imagens do passado, surgindo como numa tela de cinema em sua mente. Deixe-as passar liberando-as com o mantra. Isso é parte da limpeza da mente subconsciente.

Se as emoções surgirem, você também pode incorporá-las ao canto. Ou seja, se você sentir raiva, cante a raiva. Tudo o que você experiência está certo. Não tente evitar ou controlar suas experiências. Basta estar com o que está acontecendo e deixar passar. É tudo parte do processo de limpeza.

Eu gosto de terminar agradecendo. Você sabe que a neurociência já provou que o cérebro é incapaz de reclamar e sentir gratidão ao mesmo tempo? E que a gratidão é considerada o mais elevado estado de consciência possível ao ser humano? 


Então, se você também quer encerrar agradecendo, ao final da sua prática de meditação, ou de silêncio, pense em alguns dos motivos que você tem para agradecer. E agradeça.

O melhor dessa pesquisa é saber que esta meditação funciona. Tudo que você tem a fazer é começar. Eu prefiro fazer com um áudio em vez de marcar o tempo. Se você for como eu, esse vídeo abaixo, é um dos vários disponíveis com o áudio do Kirtan Kriya. Boa prática!