domingo, 19 de novembro de 2017

Quociente de Inteligência Espiritual

Érima de Andrade

Sempre falo dos quatro aspectos,
que alguns chamam de quatro inteligências, que são: corpo físico, intelecto, emoção e espírito. Para mim não é novidade que exista a inteligência espiritual, mas o mundo acadêmico resolveu pesquisá-la, estudá-la, compreendê-la. E todos nós ganhamos com isso.

A primeira inteligência academicamente estudada, foi a intelectual.
E tornou muito popular os testes de QI, quociente intelectual, que tinham a intenção de medir a inteligência, comparando a pessoas do mesmo grupo etário. Os testes foram inspirados em um exame criado pelo francês Alfred Binet, em 1900. A ideia do QI, originalmente, não era a de identificar gênios, mas procurar crianças que precisavam de ajuda na escola.

Fazendo uma reação com nossos aspectos, o nosso aspecto intelectual é a nossa visão do mundo, nossos valores, regras, julgamentos, análises, o quê e como pensamos, ou seja, nossas capacidades cognitivas.

Os itens testados no QI, para nos avaliar cognitivamente, variam de problemas baseados no raciocínio abstrato a concentração na aritmética, vocabulário e conhecimentos gerais.
O teste de QI considera a inteligência uma habilidade mental tão mensurável quanto a altura ou o peso. O resultado desse teste é apenas um número. E descobriu-se que ter um QI alto não era garantia de sucesso em nenhuma área da vida. Muitas pessoas bem-sucedidas têm QI alto, e muitas pessoas com QI alto são um tremendo fracasso em tudo que fazem.

Por caminhos que desconheço, surgiu a necessidade de estudar as emoções, cientificamente, e descobriu-se a inteligência emocional, a IE, ou
QE, quociente emocional, que nos contava que podíamos ser um fracasso matemático e ao mesmo tempo, um sucesso social, por termos inteligência emocional para manter relações sociais. O nosso aspecto emocional é a expressão dos nossos sentimentos e emoções, por isso a inteligência emocional é tão intimamente ligada a inteligência social.

Um indivíduo emocionalmente inteligente é aquele que consegue identificar as suas emoções com mais facilidade, e com isso leva em consideração os próprios sentimentos e o dos outros nos momentos de decisão. O termo inteligência emocional, IE, foi criado por Daniel Goleman. De acordo com Goleman, a inteligência emocional pode ser subdivida em cinco habilidades específicas: autoconhecimento emocional, controle emocional, automotivação, empatia, habilidades sociais, que é o mesmo que desenvolver relacionamentos interpessoais.

A inteligência emocional, para grande parte dos estudiosos do comportamento humano, pode ser considerada mais importante do que a inteligência mental para alcançar a satisfação em várias áreas da vida.

Compreensão é luz, e colocar luz nas nossas inteligências, nos ajudar a entender qualidades e habilidades é maravilhoso. E como a curiosidade é infinita, surgiu no mundo acadêmico a compreensão de uma terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos.

É o quociente de inteligência espiritual, o QS (Spiritual Quocient). O QS tem a intenção de estudar e compreender a alma. O aspecto espiritual é a nossa essência, o nosso verdadeiro eu, de onde vem a nossa sabedoria interna, a intuição e os insights. O que vivemos antes somado ao que aprendemos agora, nos leva a criar situações novas, e é essa habilidade que está sendo chamada de inteligência espiritual.

Quociente de inteligência espiritual, não tem nada a ver com religiosidade. Muitas pessoas que se dizem religiosas têm sabedoria espiritual baixíssima porque agem mais por condicionamento, tradição, crenças, etc.

QI, quociente de inteligência, é a capacidade de compreender e manipular símbolos matemáticos e linguísticos; IE ou QE, quociente emocional, revela nosso autoconhecimento, autodisciplina, persistência e empatia. QI e QE podem trazer crescimento profissional e financeiro, porém, paz interior e alegria só com inteligência espiritual, só com QS.

Com inteligência espiritual nós desenvolvemos capacidade de encontrar um propósito para a própria vida e de lidar com problemas existenciais que surgem em momentos de fracasso, de rompimentos e de dor. Sem essa inteligência, até pessoas inteligentes, e sensíveis às necessidades dos outros, sentem um vazio enorme.

No início dos anos 90, Michael Persinger e Vilayanu Ramachandran identificaram no cérebro o “módulo Deus”, que aciona a necessidade humana de buscar um sentido para a vida. O“ponto Deus”mostra que o cérebro evoluiu para fazer perguntas existenciais, para buscar sentidos e valores mais amplos.

Nos leva a indagar, por exemplo, se queremos estar nessa situação, se o nosso trabalho está nos dando a satisfação de que necessitamos, ou se esta é a vida que queremos levar. A inteligência espiritual dá à pessoa a capacidade de avaliar o sentido da vida e é a base da QE, inteligência emocional, e do QI,inteligência intelectual.

Dana Zohar, autora do livro Inteligência Espiritual, identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes: 

1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo;
2. Têm espontaneidade e capacidade de ser flexível;
3. Celebram a diversidade;
4. Têm capacidade de enfrentar a dor, de aprender com o sofrimento e de encarar e utilizar a adversidade;
5. Têm capacidade de se inspirar com ideias e valores;
6. Têm compaixão e relutância em causar danos nos outros;
7. Têm tendência para ver conexões entre realidades distintas, são pessoas holísticas;
8. Têm tendência para se questionar sobre suas ações e desejos, perguntam sempre “Por quê?”: Por que agir de tal maneira?, ou: O que aconteceria se eu agisse de outra maneira?;
9. Têm independência e capacidade de seguir as próprias ideias e ir contra as convenções;
10. Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo.

Com inteligência intelectual analisamos, nomeamos, julgamos, racionalizamos nossas ações. Com inteligência emocional, nos relacionamos melhor com as outras pessoas. Com inteligência espiritual vemos aquilo que nos une e entendemos que o bem que faço, gera o bem para mim. A inteligência espiritual leva ao bem-estar e a compreensão que somos um com todos e que a nossa felicidade está atrelada ao bem de todos.

Claro que todo terapeuta ocupacional, e todo profissional da área de saúde, reconhece também a inteligência corporal. Nosso corpo físico é fantástico. O aspecto físico é o nosso aspecto concreto, palpável, sólido. Através dele manifestamos pensamentos do intelecto, sentimentos da emoção e a presença do espírito. Mas ainda não é sobre isso esse texto.

Danah Zohar explica os 12 princípios da Inteligência Espiritual:

“ 1. Tenha pensamentos positivos, sempre. Não pense como vítima das circunstâncias, pense que sofrer é uma oportunidade de ser forte. “A crise econômica atual” é uma oportunidade de pensar nossos valores”, lembra Danah.

2. Descubra quem você é. O que me faz levantar de manhã? Para que eu vivo, por o quê daria minha vida? O que me motiva para fazer coisas todos os dias? Quem eu sou realmente? Comprar, trabalhar, sair com os amigos faz parte de nosso universo, mas o “ser” é mais do que isso. Quando eu digo “minha vida é minha oração”, significa saber que minha vida é um presente de Deus e que precisamos fazer a diferença nesse planeta.

3. Tenha humildade. Precisamos saber que o que fazemos parte de um sistema, e que precisamos prestar atenção nos outros, lembrando que existem diversos pontos de vista, não o seu, unicamente.

4. Viva a compaixão. A origem dessa palavra significa “sentir com”. Sentir a dor do outro como se fosse a sua dor. Lembre-se sempre: eu sinto que sou você, e que você sou eu.

5. Reveja seus valores. Precisamos pensar menos em “eu, mim” e mais em “nós, nossos”. E precisamos rever nossos valores para servir uns aos outros. Como fazer isso? Pergunte a você mesmo, qual é o melhor que você pode dar.

6. Viva o presente. Tire o peso do passado e das preocupações, e viva o agora!

7. Estamos conectados, e o jeito que vivo minha vida afeta a vida do outro. Se me sinto negativo, espalho essa negatividade para minhas relações, minha comunidade. Mas se me sinto esperançosa e que posso fazer melhor, espalho essa atitude para as outras pessoas.

8. Responda a uma questão fundamental: por quê? Sempre perguntar por quê! Nós nos fechamos se não questionamos.

9. Mude a sua mente, seus paradigmas, e coloque seus pontos de vista sob uma nova perspectiva. Precisamos de uma revolução do pensamento também nas lideranças e na educação. Educação significa memorização, imposição? Ou é ajudar as crianças a fazerem boas perguntas? É preciso ajudar as pessoas a formarem consciência crítica.

10. Valorize seus princípios, mesmo que sejam impopulares. Entretanto, não seja arrogante de que está certo, mas questione-se. Escute os outros, mas veja o que você quer acreditar, para o que você quer lutar.

11. Celebre a diversidade. Isso não significa numa empresa, por exemplo, colocar uma mulher ou negro num cargo alto, mas construir um pensamento do que significa a diferença para você, e o que ela tem a lhe ensinar. Dizer “obrigada por ser diferente, por me fazer questionar a mim mesmo”.

12. Descubra a sua vocação, o seu propósito de vida e em como você pode fazer a diferença. Você não precisa ser o Gandhi ou o Barack Obama. Cozinhar um bolo para sua família, um pai que vai brincar com seu filho, dando o seu melhor, é uma maneira de servir a humanidade com o melhor que temos”. Drª Dana Zohar - Oxford

Se você quer desenvolver sua inteligência espiritual, comece se fazendo estas perguntas que fornecem alimentos que proporcionam condições, e a oportunidade, se essa for a intenção, de nos olharmos e avaliarmos o que é realmente essencial, e o que não for, transformar, transmutar:

– Quais os meus limites?
– Por que certas coisas me incomodam?
– Qual o meu propósito de vida?
– Estou sendo verdadeiro com este propósito ou o estou traindo?


Você está aqui a serviço da humanidade e todo movimento que você fizer para dentro, ou seja, para seu autoconhecimento, vai beneficiar e impactar outras pessoas ao seu redor.

Até pouco tempo atrás, era mais fácil falar de amor, união, paz e espiritualidade. Agora chegou o momento que, além de falar, é preciso viver o que falamos. Está cada vez mais difícil sustentar esse desalinhamento entre palavras e ações. A consciência está expandindo e pode ser bastante doloroso entrar em contato com essas contradições e perceber que você fala uma coisa e faz outra: fala de paz mas faz guerra; fala de bem-estar social, mas gera sofrimento para a sociedade.” Sri Prem Baba


QS, vale a pena desenvolver.

12 comentários:

  1. Respostas
    1. Gratidão por ler e comentar Ayesa! Beijo

      Excluir
    2. Bom demais o conteúdo é a forma muito clara. Obrigada!

      Excluir
  2. Ótimo texto!É preciso reconhecermos que não somos os donos da verdade. e como é difícil. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Com inteligência espiritual nós desenvolvemos capacidade de encontrar um propósito para a própria vida e de lidar com problemas existenciais que surgem em momentos de fracasso, de rompimentos e de dor. Sem essa inteligência, até pessoas inteligentes, e sensíveis às necessidades dos outros, sentem um vazio enorme.
    Meu filho jovem é um rapaz inteligente mas fora umas besteiras qui fez em comprar demasiado jovem nao teve juiz..está passando por este periodo dificl tb meu filho teve pouca ajuda na escola e ficou frustado um tempo e ainda está por falta de apoio eu cporicurei ajuda mas em vao. le tafez 26 anos gosta de eletronica gosta de ajudar fazer comida...ele quer uma chance e as pessoas precisam acreditem nele..ele com 17 anos 18 anos fez umas besteiras de fazer muitas compras e juntou muitas notas pra pagar faturas..esta arrependido. Como fazer pra tentar anima lo mais ficou em estado de raiva depressao porque ele quer sair dessa situacao qui a 2 anos ta a mesma coisapenso qui preciso sair desse lugarejo onde moro pra melhorar o ambientede certas pessoas qui estao atrapahando o andamento do progresso dele e meu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Traçar planos, o mais detalhado possível, e correr atras de realizar o passo a passo. É bom se conhecer, quais suas habilidades, quais suas dificuldades, e saber onde quer chegar. Quer mudar de cidade? Como você pode fazer isso? Talvez precise juntar algum dinheiro para conseguir. Como você pode ter uma renda? O que você faz bem que pode ajudar a conseguir essa renda extra. De pergunta em pergunta você vai tornando claro o que e quando fazer a mudança que quer na vida. Mas comece. Comece onde você está, faça o que você pode. Desejo que seus planos se realizem.

      Excluir
  4. Parabéns Erima muito bom o texto me fez refletir situacoes do dia a dia.

    ResponderExcluir
  5. Nos leva a indagar, por exemplo, se queremos estar nessa situação, se o nosso trabalho está nos dando a satisfação de que necessitamos, ou se esta é a vida que queremos levar. A inteligência espiritual dá à pessoa a capacidade de avaliar o sentido da vida e é a base da QE, inteligência emocional, e do QI,inteligência intelectual.
    Muito bom questionar .. Pois nao somos arvores podemos mudar tem qui batalhar pedir ajuda...nao aceitar qualquer migalhas de respostas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, se auto observar para mudar o que não lhe serve mais.

      Excluir

Vou ficar feliz com seu comentário. É muito bem vindo!